«Neste momento de dor recordamos a importância dos ideais que partilhamos e que nos movem. Estamos todos juntos na Europa da dignidade humana, da tolerância e da paz, na luta contra os extremismos e contra o terrorismo», concluiu.






«Paris é agora o lugar que todos habitamos. O lugar onde se gera um novo ímpeto, um ímpeto de vontade para uma luta abnegada e quotidiana pela dignidade e os direitos, a liberdade e a democracia», lê-se no voto aprovado.