Marcelo Rebelo de Sousa vai dizer ao país qual a sua posição sobre o Orçamento do Estado para 2016 para a semana que vem. Isso é certo, mas não adianta em que dia. O documento chegou às suas mãos na passada quinta-feira de manhã e está em fase de análise durante esta Páscoa.

"Já lá vão três dias de apreciação do Orçamento e, portanto, estou muito próximo de divulgar a posição final"

O Presidente da República já "ia acompanhando os trabalhos de elaboração do Orçamento" e, por isso, o processo de análise que está a fazer "é uma confirmação, no essencial, daquilo que já conhecia".

Marcelo considera que os portugueses têm direito a ter Orçamento em vigor o quanto antes e sublinhou isso mesmo aos jornalistas, este sábado, durante uma visita ao Estabelecimento Prisional de Tires, no distrito de Lisboa, adiantando então que falará "muito brevemente". 

"É com certeza para a semana, porque há um ponto fundamental, é importante para os portugueses que haja Orçamento. Portanto, não se deve diferir aquilo que deve ser feito mais cedo".

Já sobre a posição do PSD em relação à política orçamental do Governo do PS, o chefe de Estado não quis fazer qualquer comentário. "Eu terei ocasião de dizer o que entendo dever dizer na altura devida", disse apenas.

Normalmente, o Orçamento do Estado entra em vigor em janeiro de cada ano, mas com a crise política que se abriu no país na sequência das eleições legislativas de 4 de outubro, o processo atrasou-se.

A votação final global do documento aconteceu apenas a 22 de fevereiro, com a aprovação histórica de PS, BE, PCP e abstenção do PAN. PSD e CDS-PP votaram contra, como tinham de resto anunciado.