A comentadora da TVI24 Constança Cunha e Sá criticou, nesta segunda-feira, a posição do vice-primeiro-ministro perante o corte nas pensões de sobrevivência, quando dias antes foi omisso durante a apresentação dos resultados da oitava e nona avaliações da troika. Paulo Portas, recorde-se, disse hoje que na quinta-feira desconhecia os cortes.

«Nessa declaração mostra e confirma como funciona o Governo. Aquela conferência de imprensa foi, como disse na quinta-feira, uma encenação completa onde nunca foi dito o que devia ter sido dito, ou seja, as medidas que vão constar do Orçamento do Estado. Portas omitiu as medidas acordadas com a troika e omitiu também as consequências de a troika não ter aceite a diminuição do défice. Ele disse também que as poupanças a fazer não iam incidir sobre as despesas das pessoas e sobre a despesa do Estado. Falso. Quer Portas queira, quer não, isto é um corte», defendeu Constança Cunha e Sá.