Augusto Santos Silva diz que está em marcha uma campanha para que Portugal tenha de ser resgatado uma segunda vez. O socialista diz que só há uma hipótese de escapar a um segundo resgate: o governo tem de ser duro nas negociações com a troika baseado em alguns sinais ténues de crescimento que o país tem registado.

«A única alternativa é o Governo português falar grosso à troika nestes dias», disse, considerando que seria possível «conceber um cenário macro-económico que permitisse que Portugal pudesse atingir um défice de 4,5% ou 5% para o ano, sem ter que efetuar os cortes ilegais, inconstitucionais na minha opinião, retroactivos sobre as pensões e continuar com este tipo de punção fiscal».

Santos Silva defendeu ainda algum estímulo à economia com a baixa do IVA para a restauração e turismo, assim, Portugal teria melhor consolidação orçamental do que se «ajoelhar perante a troika».