Constança Cunha e Sá criticou, nesta quinta-feira, as medidas do Governo em relação às pensões de sobrevivência. A comentadora da TVI24 disse que o que se passa «é um escândalo e ninguém fala disso».

«Está instalada a confusão. Eu fiquei à espera do debate de hoje na Assembleia da República para ver se o governo explicava de uma vez por todas o que se estava a passar. Não explicou. E revela uma enorme má-fé na forma como explica as coisas. (...) O doutor Paulo Portas anunciou triunfante que afinal as pensões de sobrevivência do setor público e do setor privado só teriam um desconto quando acumuladas com a pensão de velhice o resultado fosse superior a dois mil euros. E portanto, só a partir dos dois mil euros, ou seja, do cúmulo de dois mil euros é que pensionista do setor público e pensionistas do setor privado teriam direito a um corte faseado. E diz que Paulo Portas que estavam nesta categoria 25 mil pensionistas de pensões de sobrevivência. O que o Governo faz é confundir as duas leis», afirmou Constança Cunha e Sá.