Constança Cunha e Sá considera que o manifesto assinado por 70 individualidades da esquerda à direita é a prova de que há um consenso numa «alternativa» à austeridade.

«Não é muito frequente vermos Louçã com Ferreira Leite, com Adriano Moreira, com Ferro Rodrigues, etc, tudo junto no mesmo manifesto, o que prova que há uma base de consenso», afirmou, na TVI24.

Para a comentadora, no entanto, esta não é uma resposta ao pedido de Cavaco Silva, porque «no fundo o que o Presidente da República pede não é consenso, é uma rendição ao caminho que ele considera inevitável».