Constança Cunha e Sá criticou o Documento de Execução Orçamental (DEO) apresentado pelo governo, esta quarta-feira.

No comentário habitual da TVI24, Constança Cunha e Sá afirma que o documento veio provar que a austeridade veio para ficar, ao contrário do que era esperado depois dos últimos anúncios otimistas feitos pelo governo.

«A austeridade é para manter para 2015 e para os anos seguintes. Há um alívio, de facto, nos cortes das pensões (...) mas a verdade é que isso é feito à custa de aumento de impostos e à custa do aumento da TSU dos trabalhadores».