O ministro da Saúde, Paulo Macedo, mostrou-se esta quarta-feira disponível para dialogar com os sindicatos, depois de cerca de uma centena de dirigentes e ativistas sindicais terem invadido na terça-feira o Ministério da Saúde a exigir uma reunião.

«Só nestes últimos 60 dias nós reunimos com a FNAM [Federação Nacional dos Médicos], com o sindicato dos enfermeiros, com o sindicato dos assistentes técnicos, portanto, para nós falar com os sindicatos não é um problema», afirmou o ministro, como cita a Lusa.

A reação à ocupação pelo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas.

Cerca de uma centena de dirigentes e ativistas sindicais invadiram na terça-feira o Ministério da Saúde para dizer que não aceitam o Orçamento do Estado para 2014.

Gritando palavras de ordem como «lutar e agir para a saúde garantir» ou «saúde é um direito, sem ela nada feito», os cerca de cem auxiliares de ação médica, enfermeiros, reformados e pensionistas estiveram sentados no chão da receção do Ministério, exigindo serem recebidos pelo ministro.

A segurança dos ministérios vai ser reforçada na sequência da ocupação dos edifícios governamentais.

Os manifestantes abandonaram o local ao fim da tarde, depois de um encontro com o secretário-geral do Ministério.