Morais Sarmento apelidou, esta terça-feira, no programa «Cara a Cara», do TVI24, Santos Silva e José Lello de «sacristães de serviço» de José Sócrates. Já o actual ministro dos Assuntos Parlamentares considerou que o primeiro-ministro não deve condicionar a sua agenda em função de pedidos.

O ex-ministro de Durão Barroso aproveitou a deixa de Santos Silva e afirmou que «o dr. Santos Silva e o dr. Lello têm sido, aliás, um bocadinho os sacristães de serviço que vêm fazer, desta vez foi José Lello, as despesas políticas dos silêncios de José Sócrates», disse.

Santos Silva, questionado sobre se José Sócrates se deveria demarcar das declarações do socialista José Lello, como exigiu Alegre, respondeu que Sócrates não deve condicionar a sua agenda em função de pedidos.