A cabeça de lista do BE, Marisa Matias, criticou esta terça-feira as «queixinhas relativamente à tentativa de discutir os assuntos em concreto» da campanha, como a reestruturação da dívida e o tratado orçamental.

Marisa Matias reagia assim às críticas lançadas hoje pelo cabeça de lista Francisco Assis, que acusou o BE e o PCP de «sectarismo maximalista».

«Nós queremos discutir os conteúdos concretos de cada uma destas medidas [reestruturação da dívida e tratado orçamental] e não apenas haver uma espécie de queixinhas relativamente à tentativa de discutir os assuntos em concreto», disse.

Na opinião da eurodeputada recandidata, Portugal não está «numa situação de perder tempo com estas bocas».

«Nós queremos discutir os assuntos a fundo», sustentou.

Para Marisa Matias «o caminho para a campanha é ter que discutir os temas que vão ter que ser discutidos mais cedo ou mais tarde».

«De cada vez que puxamos esses temas não podemos ter como resposta que estamos a fazer uma acusação porque o que nós queremos é discuti-los verdadeiramente», sublinhou.

A candidata bloquista concorda que «está a haver uma radicalização dos discursos sem sequer se explicar o conteúdo ou as posições em concreto», garantindo que o BE tem trazido essas questões para cima da discussão na campanha.