O antigo Presidente da República Mário Soares acusou o Governo e a presidente da Assembleia da República de serem contra o 25 de Abril e considerou que a «única e verdadeira» comemoração daquela data aconteceu no largo do Carmo, em Lisboa.

«Houve uma única e verdadeira [comemoração] que é esta aqui, onde está o povo», disse Mário Soares no final da cerimónia de homenagem ao capitão Salgueiro Maia, que decorreu esta manhã no Largo do Carmo.

Aos jornalistas, Mário Soares criticou ainda a forma como a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, se dirigiu à Associação 25 de Abril, afirmando que não respeitou os capitães de Abril.

«Foi símbolo de que não foram respeitados como deviam. Eles fizeram o 25 de abril. Se o Governo e a presidente da Assembleia da República fossem do 25 de Abril, não lhes faziam o que fizeram», afirmou.

«Este governo é contra o 25 Abril», acrescentou o histórico socialista.

As comemorações do 40.º aniversário do 25 de Abril repartem-se hoje por três palcos, entre a sessão solene no parlamento, a evocação a Salgueiro Maia no Largo do Carmo e o tradicional desfile na Avenida da Liberdade.

Pelo terceiro ano consecutivo, os militares de Abril não estarão presentes na sessão solene no parlamento.

A decisão de realizar a homenagem no Largo do Carmo surgiu depois da falta de consenso entre os partidos para que um representante dos militares de Abril interviesse na sessão solene.