logotipo tvi24

«Poder judicial está empenhado em derrubar o primeiro-ministro»

Bastonário da Ordem dos Advogados diz que «há decisões judiciais que são produzidas para o debate político»

Por: tvi24 / MM    |   2010-03-05 17:46

O Bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho Pinto, acusou, esta terça-feira, o poder judicial de estar «empenhado em derrubar o primeiro-ministro». Marinho Pinto adiantou que «este primeiro-ministro, bem ou mal, tocou em alguns privilégios da corporação», sendo «manifesto» que a mesma «está empenhada em derrubá-lo».

«O poder judicial está, neste momento, empenhado em derrubar o primeiro-ministro. Alguém tem dúvidas disso?», afirmou Marinho Pinto, no Porto, à margem de uma conferência realizada na Faculdade de Direito.

«O caso Freeport é óbvio. Há seis anos que está este processo e vai ser arquivado agora? E durante este tempo todo vejam o que fizeram ao primeiro-ministro», frisou.

«Promiscuidade aviltante »

Marinho Pinto salientou ainda que «há decisões judiciais que são produzidas para o debate político» e sustentou que «tudo está aqui numa promiscuidade aviltante para as instituições democráticas e para a própria cidadania».

Em resposta ao presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, que instou o bastonário dos advogados a concretizar as acusaçõesde que há contaminação política no MP, o bastonário sublinhou que «não» comenta «declarações de sindicalistas». «Os sindicatos querem, e bem, mais dinheiro e menos trabalho para os seus associados, o objectivo que me move e move a Ordem dos Advogados é melhor justiça, mais rápida e mais justa para os cidadãos, sociedade e empresas», salientou.

«Indícios» de influências, mas sem «provas»

Na quinta-feira, Marinho Pinto tinha admitido que havia contaminação política do Ministério Público, falando mesmo em «sinais evidentes de que o poder judicial está a funcionar segundo uma agenda política».

Em reacção a estas declarações, o secretário de Estado da Justiça admite que haja contaminação política do Ministério Público «em casos pontuais». João Correia refere que teve «indícios» de influências políticas na Justiça, mas nunca «provas».

Partilhar
EM BAIXO: Marinho Pinto
Marinho Pinto

PS: Seguro apela a inscrição contra «corte de iluminados» de Lisboa
Jovens socialistas de Matosinhos cantaram-lhe os parabéns por três anos de liderança do partido
Ana Drago admite criação de plataforma de Esquerda
Em nome da «salvação do estado social», disse a ex-dirigente bloquista
Nuno Melo contra antecipação de legislativas
«O facto normal e até desejável é que as legislaturas se completem»
EM MANCHETE
TAP cancela 48 voos em quatro dias
Companhia aérea pede desculpa aos passageiros por atraso na entrega de novos aviões. Veja a lista de voos cancelados
Avião com destino ao Porto fez aterragem de emergência
ESFG solicita prolongamento da suspensão das ações