A candidata presidencial Maria de Belém considerou hoje esta segunda-feira que a personalidade exuberante de Marcelo Rebelo de Sousa não "casa bem com as funções de Presidente da República", considerando que este se sentiria desconfortável num formato que deve ser contido.

Maria de Belém esteve esta segunda-feira à noite em Vila Nova de Gaia no Clube dos Pensadores, debate durante o qual afirmou que "Marcelo Rebelo de Sousa é conhecidíssimo como comentador e como criador de factos políticos", destacando que um dos opositores na corrida a Belém "é uma pessoa que, pela sua inteligência, pelo seu brilhantismo é um criativo e muito exuberante".

"Considero que não é esse o tipo de personalidade que casa bem com as funções de Presidente da República, que estão claramente definidas na Constituição", declarou, antevendo que Marcelo Rebelo de Sousa "não se sentiria confortável naquilo que é um formato que tem de ser muito contido".

Na opinião da ex-presidente do PS, "o Presidente da República não pode fazer nem de mais, nem de menos, tem que fazer na justa medida e a justa medida é muito difícil de encontrar".

"É preciso serenidade, paciência, é preciso experiência de vida e é preciso contenção. E Marcelo Rebelo de Sousa, com todo o seu brilhantismo, concordarão comigo que tem alguma dificuldade de contenção", enfatizou.

Ressalvado que nunca fará política a dizer mal dos adversários, Maria de Belém deixou ainda uma pergunta: "será que Marcelo Rebelo de Sousa se sentiria bem num fato tão espartilhado como é aquele que constitui a definição de funções do Presidente da República que é feita na Constituição?".