O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta quarta-feira que o reconhecimento do trabalho "notável" de António Guterres por Ban Ki-moon seria um "empurrão" à candidatura do antigo primeiro-ministro a secretário-geral das Nações Unidas.

"É muito importante que o atual secretário-geral das Nações Unidas reconheça aquilo que pôde ver na atividade notável do senhor engenheiro António Guterres. Foi notável [enquanto Alto Comissário para os Refugiados]. Estou à espera do reconhecimento que vale como um empurrão para o engenheiro António Guterres", disse o Presidente da República ao ser questionado sobre a importância da visita de Ban Ki-moon a Portugal.

O secretário-geral das Nações Unidas estará em Portugal na quinta e na sexta-feira a convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tendo encontros com o primeiro-ministro, António Costa, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e também com estudantes sírios.

Na sexta-feira, reúne-se com o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, altura em que no plenário haverá debate quinzenal com a presença do primeiro-ministro.

Este debate quinzenal, como é habitual quando acontece às sextas-feiras, começa às 10:00 e dura cerca de duas horas, o que levará seguramente Ferro Rodrigues a pedir a um dos seus vice-presidentes para o substituir na condução dos trabalhos em plenário na segunda metade do debate, por forma a poder receber o secretário-geral das Nações Unidas.

Nas conversas de Ban Ki-moon com representantes de órgãos de soberania portugueses, um dos temas será a candidatura do antigo primeiro-ministro António Guterres à sua sucessão no cargo de secretário-geral das Nações Unidas, isto sabendo-se que Ban Ki -moon abandona o cargo que desempenha há dez anos no final deste ano.