O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu esta quinta-feira que o Governo "fez o que devia ter feito" em relação à situação da Ponte 25 de Abril e desaconselhou alarmismos.

Não sejamos alarmistas. O que há é duas coisas: há um relatório que aponta para urgência em obras – não quer dizer que a ponte esteja a cair; e há o Governo que percebe a urgência e que determina essas obras", declarou o chefe de Estado aos jornalistas, no final de uma visita a uma fábrica do setor têxtil, em Alfragide, na Amadora.

De acordo com Marcelo Rebelo de Sousa, "mais vale tarde do que nunca" e o facto de as obras se estenderem por dois anos indica "que não há um grau de urgência igual para todas as reparações".

Interrogado se a ação do Governo não poderá ser tardia, o Presidente da República respondeu que "não".

"Logo que chegou o relatório – é assim que normalmente se faz, há um relatório técnico, o relatório técnico mostra que há pontos onde é necessário haver intervenções – o Governo decidiu intervir", acrescentou.

Acho que fez o que devia ter feito. E acho que o Parlamento também discutir essa matéria tem toda a lógica", completou.