O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou esta quinta-feira à Madeira para a primeira visita oficial à região autónoma, declarando ter "o maior entusiasmo" e prometendo já uma nova visita para breve.

"Desloquei-me à Madeira para estar presente nas comemorações do dia da região, a que me associo com o maior entusiasmo", vincou Marcelo Rebelo de Sousa na primeira intervenção pública no Funchal.

De acordo com a Lusa, o chefe de Estado falava no Palácio de São Lourenço, no Funchal, onde chegou cerca das 20:45, tendo prestado na ocasião declarações aos jornalistas e convidados presentes.

Elogiando a autonomia regional, uma das "mais felizes realizações" da democracia portuguesa, Marcelo disse chegar à Madeira "para comemorar" com "alegria e extrema felicidade" essa realização.

"Ainda este ano, dentro de dois meses, regressarei para visitar as ilhas Desertas e as Selvagens. E espero voltar muitas mais vezes a esta região", garantiu. E concretizou: "Quero conhecer de perto os anseios das gentes da Madeira".

O chefe de Estado arrancou esta quinta-feira, no Funchal, uma visita oficial de três dias à Madeira durante a qual, na sexta-feira, presidirá - na Assembleia Legislativa - à cerimónia do Dia da Região.

Presidente está a "abraçar o mundo" com visita à Madeira

O representante da República para a Madeira afirmou esta quinta-deira que o chefe de Estado está “a abraçar o mundo” ao visitar a Região Autónoma porque existe uma comunidade de emigrantes que olha para esta deslocação “com esperança”.

“Ao visitar esta Região Autónoma, Vossa Excelência está também a abraçar o mundo”, disse o juiz conselheiro Ireneu Barreto no Palácio de São Lourenço, no Funchal, ao saudar Marcelo Rebelo de Sousa, que inicia esta quinta-feira a primeira visita oficial à Madeira e Porto Santo.

Ireneu Barreto salientou que os madeirenses são mais do que os que residem no arquipélago, porque existem os emigrantes e seus descendentes, “bem mais de um milhão que a diáspora levou às quatro partidas do mundo”.

“São esses portugueses, em que a Madeira e o Porto Santo se desdobram e multiplicam, que olham para esta visita com particular esperança”, sublinhou.

Para Ireneu Barreto, a comunidade emigrante espera que “a atenção que o mais alto magistrado da Nação lhes dedica possa contribuir para trazer dias mais serenos e tranquilos, pois são incertos e sombrios os dias que hoje muitos atravessam”.

Ireneu Barreto vincou que os emigrantes esperam que “Portugal e a Região Autónoma da Madeira possam ser um ombro amigo, corporizado no Presidente da República, que os defenda lá fora, e os reconheça cá dentro”, sempre com a vontade de regressar à sua terra “não porque fogem, mas porque o seu país e a sua região lhes podem proporcionar as condições que tiveram um dia de procurar algures”.

O programa da primeira visita oficial à região Autónoma começou com um jantar no Palácio de São Lourenço, a residência oficial do representante da República, onde o chefe de Estado vai ficar hospedado.

Na sexta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa discursa na sessão solene comemorativa do Dia da Região, na Assembleia Legislativa da Madeira, depois de presidir à Guarda de Honra conjunta pelos três ramos das Forças Armadas, deslocando-se depois, a pé, até à Praça da Autonomia para uma cerimónia de deposição de flores.

Depois, o Presidente da República almoça na Quinta Vigia (Presidência do Governo Regional) com chefe do executivo madeirense, o social-democrata Miguel Albuquerque.

À tarde, participa na cerimónia de imposição de insígnias do Governo Regional da Madeira, no Salão Nobre, que agracia, entre outros, os jornalistas Tolentino Nóbrega e Lília Bernardes, a título póstumo.

O dia termina com uma eucaristia de Te Deum na Sé do Funchal e um concerto do artista Rui Veloso acompanhado pela Orquestra Clássica da Madeira, na Praça do Povo, na marginal do Funchal.

Sábado, último dia da visita, é dedicado ao Porto Santo, estando prevista passagem pela Câmara Municipal da ilha, a inauguração de Núcleo Museológico Jorge Brum do Canto, a apresentação do projeto “Porto Santo Sustentável” e a inauguração do hotel Pestana Ilha Dourada.