O ministro da Administração Interna considerou hoje «sem cabimento» ou «fundamento» as críticas feitas à divulgação dos resultados das eleições autárquicas, sublinhando que «todo o processamento eleitoral de domingo correu muito bem».

Miguel Macedo falava aos jornalistas na Ajuda, Lisboa, onde presidiu à cerimónia que assinalou o ingresso de 44 novos oficiais da GNR, com a entrega simbólica de espadas.

O ministro salientou que o processo eleitoral só registou dois boicotes eleitorais e que a publicitação de alguns resultados só na segunda-feira «não é uma situação inédita», pois já havia sucedido em anteriores eleições autárquicas.

Miguel Macedo alertou para o maior grau de complexidade das eleições do passado domingo, em resultado da reconfiguração e da redução do número de freguesias, o que implicou a realização de outras operações adicionais, num cenário em que certas pessoas passaram a votar em outras freguesias.

«As críticas não têm fundamento», enfatizou Miguel Macedo, dizendo que irá demonstrar em local próprio (Assembleia da República) o que se passou, hora a hora, em eleições anteriores.

Segunda-feira, o dirigente socialista Miguel Laranjeiro exigiu ao Governo explicações sobre o motivo de atrasos na divulgação dos resultados das eleições autárquicas, considerando inaceitável que ao fim de 24 horas não houvesse ainda resultados definitivos.

Hoje, em declarações aos jornalistas, o ministro da Administração Interna admitiu contudo que «o país tem que ponderar um trabalho de fundo em relação ao Código Eleitoral» e aprofundar todos os mecanismos electrónicos para efeitos de processamento da máquina eleitoral, numa alusão à possibilidade de futura utilização do voto electrónico.

Quanto aos resultados propriamento ditos, que constituíram uma pesada derrota para o PSD, Miguel Macedo disse não pretender fazer comentários desse tipo numa cerimónia da GNR, já que estará presente hoje à noite, na qualidade de militante, na reunião do Conselho Nacional do PSD para análise dos resultados.