O deputado e ex-presidente da JSD-M, José Pedro Pereira, confirmou ter sido expulso da estrutura partidária de juventude por decisão do Conselho Jurisdicional Regional.

De acordo com José Pedro Pereira, a sua expulsão deve-se a ter proferido declarações contra o presidente nacional da JSD, Duarte Marques, relativamente às quais assinala «não se lembrar», e por ter sublinhado que não aceitava «ordens» do atual presidente da JSD-M, Rómulo Coelho.

«O motivo da expulsão, segundo a nota que recebi, foi por declarações, não me lembro quando, sobre o presidente da JSD nacional e por ter dito que não aceitaria ordens do atual presidente da Comissão Política Regional da JSD», disse.

José Pereira diz que vai «recorrer e desencadear todos os meios legais não só em termos de recurso mas também apresentar queixa no Ministério Público para que as alegadas burlas por parte do atual líder da JSD-M que vieram a público na comunicação social sejam investigadas».

«Um militante que, ao longo de 11 anos, nunca criou nenhum problema disciplinar à estrutura reage a tudo isto estupefacto», declara.

Pedro Pereira defende que a JSD-M deveria estar «preocupada» com os problemas que a juventude atravessa devido à atual situação económica do país e da região «do que andar a brincar as expulsões dentro de uma estrutura de juventude partidária».

José Pedro Pereira deixou a JSD-M, por «decisão pessoal», a 29 de maio de 2012, após cerca de um ano e meio de liderança da mesma na sequência de acusações de ter urinado num carro da Polícia de Segurança Pública e de ter proferido injúrias aos agentes. O ex-líder da JSD-M é acusado pelo Ministério Público de dois crimes de injúria agravada a agentes da PSP alegadamente cometidos na madrugada de 23 de julho de 2011.