O PS anunciou esta quinta-feira, formalmente, que vai insistir na candidatura do antigo ministro socialista Correia de Campos para o cargo de presidente do Conselho Económico e Social (CES), cuja eleição está marcada para o próximo dia 14.

Em julho, apesar de ter sido fechado um acordo entre PSD e PS acerca da eleição para o CES e para a Provedoria de Justiça, entre os 221 deputados que votaram, Correia de Campos não obteve os dois terços de votos necessários, com apenas 105 votos a favor, registando-se 93 brancos e 23 nulos.

O comunicado do Grupo Parlamentar do PS foi divulgado menos de uma hora depois de o líder da bancada do PSD, Luís Montenegro, em declarações aos jornalistas, ter anunciado que os sociais-democratas davam ao nome a propor pelo PS o seu "apoio total e inequívoco".

Já falei hoje com o líder parlamentar do PS, que creio está em reunião com o seu grupo parlamentar, e ele apresentará a proposta de candidatura à função de presidente do Conselho Económico e Social e fá-lo-á com o apoio total e inequívoco da bancada parlamentar do PSD, reiterando o compromisso que temos já formalizado com o PS de que esta indicação caberá ao PS, a próxima para a eleição do Provedor de Justiça caberá ao PSD", afirmou Luís Montenegro.

"Faremos tudo aquilo que pudermos para garantir que ele tem um resultado que não depende só de nós, depende de todas as bancadas, é um resultado de uma maioria qualificada de dois terços dos deputados presentes", acrescentou.

"Naturalmente, pressupõe o esforço de todos. Nós faremos a nossa parte e não nos interessa andar aqui com acusações relativamente ao processo anterior", afiançou.

O líder da bancada do PSD falava aos jornalistas após uma reunião do grupo parlamentar social-democrata.

Ainda em relação às eleições do próximo dia 14 para órgãos externos ao parlamento, o Grupo Parlamentar do PS propôs para efetivos do Conselho de Opinião da RTP Estrela Serrano, José Manuel Guinote e Maria Emília Brederode, tendo sido indicados para suplentes Avelino Rodrigues e Ismael Augusto.

Para o Conselho de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA), o PS indicou os nomes dos deputados socialistas Pedro Delgado Alves e Ricardo Bexiga.