O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, anunciou hoje na reunião da bancada que vão ser convocadas eleições para a presidência do grupo parlamentar para 19 de julho.

O mandato de Luís Montenegro, o último pelos estatutos do PSD, terminava apenas em setembro.

De acordo com fontes presentes na reunião da bancada do PSD, entre os motivos invocados para esta antecipação foi "não criar ruído" dentro do grupo parlamentar em setembro, antes das eleições autárquicas, e fazer coincidir o fim do mandato e da sessão legislativa.

Depois do líder parlamentar falou na reunião à porta fechada o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, que, segundo relatos feitos à Lusa, frisou já ter trabalhado com dois presidentes da bancada, referindo-se a Miguel Macedo e Luís Montenegro.

Dizendo que não se envolverá neste processo, Passos Coelho remeteu a responsabilidade da escolha do líder parlamentar do PSD para os deputados e assegurou que "a direção trabalhará com que for o escolhido".

Luís Montenegro exerce funções de líder parlamentar do PSD desde junho de 2011, quando foi eleito com 86% dos votos, tendo sido sucessivamente reeleito em outubro de 2013, com 87% dos votos, e em novembro de 2015 com quase 98% dos votos, sempre sem oposição.

A atual direção da bancada do PSD tem, no total, 11 vice-presidentes: Hugo Soares, Carlos Abreu Amorim, Miguel Santos, Amadeu Albergaria, Adão Silva, Luís Leite Ramos, Miguel Morgado, Berta Cabral, António Leitão Amaro, Sérgio Azevedo e Nuno Serra.

Licenciado em direito e advogado, Luís Filipe Montenegro Cardoso de Morais Esteves tem 44 anos e é deputado desde 2002, pelo círculo de Aveiro. Nas últimas eleições legislativas, encabeçou nesse distrito a lista da coligação entre PSD e CDS-PP Portugal à Frente.