O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou hoje que o desfecho das avaliações da troika não vai colocar em causa o objetivo de crescimento económico do Governo.

«O desfecho das oitava e nona avaliações serão resultados que não porão em causa este objetivo de crescermos mais economicamente e do ponto de vista do emprego no futuro», afirmou Montenegro aos jornalistas no parlamento, após uma reunião do grupo parlamentar.

O presidente da bancada parlamentar social-democrata disse não ter nenhuma «informação privilegiada» sobre o Conselho de Ministros de hoje, que o semanário Expresso adiantou ter aprovado medidas «muito duras», configurando um «novo pacote de austeridade» contido no Orçamento do Estado para 2014.

O debate quinzenal no Parlamento com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na sexta-feira será aberto pelo chefe do executivo e tem como tema as conclusões das avaliações da troika.

Luís Montenegro disse que a reunião de hoje do grupo parlamentar fez uma «ponderação dos resultados eleitorais» e que os deputados do PSD estão muito conscientes «da intensidade da campanha eleitoral e dos resultados».

«Objetivamente o Partido Socialista ganhou e o PSD perdeu», disse, mas argumentou que são «realidades que emanam sobretudo do contexto local em que cada uma das campanhas se realizou».

«Não há um critério uniforme. Tanto ganhámos capitais de distrito como não ganhámos, tanto centros urbanos como não ganhámos, tanto ganhámos concelhos mais rurais como não ganhámos», defendeu.

Segundo Montenegro, «o grupo parlamentar está muito coeso, muito firme», no propósito de dar «sequência política no resto da legislatura ao trabalho realizado até aqui», nomeadamente quando os «sinais» começam a ser «consistentes», referindo-se ao desemprego, às exportações, à produção industrial e aos índices de confiança.