O presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, proibiu a realização do concerto de Tony Carreira na inauguração do Pavilhão Municipal, agendada para 13 de setembro, considerando que não era «eticamente enxuto» em mês de eleições.

«Os serviços técnicos [da câmara] acharam que deviam fazer uma festa com Tony Carreira [para a inauguração do pavilhão], mas quando ontem [quinta-feira] soube disso achei que não era eticamente enxuto e proibi a sua realização», disse Luís Filipe Menezes à Lusa, nesta sexta-feira.

O autarca explicou que «uma coisa é uma inauguração» de um pavilhão, que «tem de se fazer», como acontece «normalmente», e para a qual até já convidou os «líderes todos», mas disse não consentir que se faça um espetáculo, como o concerto de Tony Carreira, num mês de eleições.

O cancelamento do concerto surge no mesmo dia em que seis candidatos à Câmara de Gaia pediram a Luís Filipe Menezes, por sugestão de José Guilherme Aguiar, que anulasse ou adiasse o evento, alegando que tinha «laivos evidentes de comício».

José Guilherme Aguiar (independente), Eduardo Vítor Rodrigues (PS), Jorge Sarabando (CDU), Eduardo Pereira (BE), Manuel Vieira Machado (independente) e Cristiana Máximo (PCTP/MRPP) são os signatários de uma carta entregue hoje pelas 17:00 na câmara de Gaia e dirigida ao presidente da câmara.

«Na vida política há regras e uma ética que nenhum poder deve ultrapassar. É entendimento unânime dos signatários que inaugurar um Pavilhão Municipal a três dias do início de uma campanha eleitoral autárquica, e fazê-lo através de uma festa com laivos evidentes de comício pago por dinheiros públicos, ultrapassa, em muito, esse limite, que, desde logo, o bom senso deveria ter impedido», frisam.

À Lusa, Menezes esclareceu que «tinha tomado esta decisão antes» da carta hoje entregue.

Sobre os custos associados ao concerto, o vice-presidente da câmara, Firmino Pereira, explicou que o espetáculo de Tony Carreira «era realizado por um promotor privado, sem custos financeiros para a câmara» e com «bilhetes à venda a 10 euros».

Firmino Pereira disse ainda que a decisão de Menezes de proibir o concerto «foi a correta», para que «os candidatos Eduardo Vítor Rodrigues e Guilherme Aguiar não possam acusar Tony Carreira pela derrota a 29 de setembro».

O autarca garantiu que o Pavilhão Municipal de Gaia «vai ser inaugurado a 13 de setembro às 11 da manhã», sendo «uma das maiores obras que merece ser inaugurada».

Já um dos signatários da carta, o candidato do BE Eduardo Pereira, teceu duras críticas às obras do pavilhão, lembrando que o mesmo está encerrado «há mais de dois anos» e que isso «prejudicou os seus utentes habituais» e levou a que «dezenas, senão centenas, de jovens» abandonassem a prática desportiva.