O fundador do partido Livre, Rui Tavares, lamentou esta terça-feira a divisão da esquerda, defendendo o objetivo de ter a esquerda portuguesa a governar junta.

«Aquilo que defendo e defendem cada vez mais pessoas à esquerda é que é preciso ter como objetivo que a esquerda portuguesa, também ela própria chegue à sua modernidade política, consiga governar, deixe de ter esta ideia que o Governo é para os outros e governe junta», defendeu Rui Tavares, durante uma 'aula' da Universidade de Verão do PSD, que decorre até domingo em Castelo de Vide.

Debatendo com o ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, a «Clivagem: Esquerda/Direita», o fundador do Livre lamentou que a esquerda portuguesa não tenha mudado ao longo dos anos e que continue tão dividida como em 1975 ou 1976.

«Isto é negativo para todo o país, inclusive para quem não é de esquerda, porque significa que a política portuguesa é como um carro em que as rodas de um lado estão travadas e só anda aos círculos», referiu.

Rui Tavares foi eleito como independente em 2009 para o Parlamento Europeu nas listas do Bloco de Esquerda. Em 2011 abandonou a delegação dos 'bloquistas', juntando-se ao grupo dos Verdes europeus.

No início deste ano fundou o partido Livre.