«Sinceramente, não me parece que seja, de todo, necessário rever as regras de Schengen. Estou aberto a mudar de opinião se me provarem que estou enganado», disse, acrescentando que, até agora, tal não sucedeu.