“O essencial é que o testemunho generalizado dessas entidades [representativas da comunicação social] se pronunciou favoravelmente às orientações da solução apresentada pelo PS. Esta evidência não pode deixar, a meu ver, de repercutir nas posições que, entretanto, o PSD tomou, ou seja, uma evolução na posição do PSD no sentido da aproximação em relação às posições do PS.”


"Tentaremos que na versão final da nossa proposta seja incluída uma lógica de liberdade total no chamado período de pré-campanha eleitoral, ou seja, aquele que dista entre a publicação do decreto que marca a data das eleições e o início da campanha eleitoral propriamente dita", disse Carlos Abreu Amorim.


“Se estas orientações realmente se vierem a concretizar na evolução das posições do PSD e do CDS eu creio que podemos vir a ter uma possibilidade de algum um entendimento, assim o desejo, porque esta matéria não deve ser entendida como um terreno de luta entre partidos, mas de todos poderem concorrer para uma saudável prática ao nível da qualidade da nossa democracia.”







"Liberdade total" de cobertura durante pré-campanha








"A proposta do PSD não é a nossa proposta, mas para nós é um mal menor. Não é de facto a nossa proposta, mas não deixamos de reconhecer que houve uma grande aproximação entre o PSD e os nossos problemas."


foram ouvidas esta terça-feira