A presidente da Assembleia da República portuguesa, Assunção Esteves, expressou esta «consternação» e «sentida solidariedade» aos familiares e amigos das vítimas do desastre das Linhas Áreas de Moçambique (LAM).

«O desastre das Linhas Aéreas de Moçambique que todos nós sentimos em surpresa e dor levou portugueses que na diáspora buscaram a sorte e que perdemos numa tristeza que se tornou coletiva», afirmou Assunção Esteves numa mensagem divulgada pelo seu gabinete.

«Neste momento envio sobretudo aos familiares e amigos das vítimas o testemunho da minha consternação e de uma sentida solidariedade», acrescentou.

Na sexta-feira, um avião das LAM que fazia a ligação Maputo-Luanda despenhou-se no Parque Nacional de Bwabwata (PNB), limitado a norte por Angola e a sul pelo Botsuana, tendo os 33 ocupantes do avião morrido.

Entre as vítimas, há sete cidadãos de origem portuguesa, de acordo com o Governo português.

As equipas de socorro chegaram ao local dos destroços 21 horas depois do acidente, que se presume ter ocorrido por volta das 13:00 [11:00 de Lisboa].

A Namíbia vai liderar a unidade de investigação do acidente com o voo TM-470 das LAM, que terá ainda investigadores de Moçambique e Angola (respetivamente, países de origem e destino do voo), do Brasil (país onde a aeronave Embraer 190 foi produzida) e Estados Unidos da América (país onde foram fabricados os motores da avião).