O grupo parlamentar do PSD demonstrou esta quarta-feira preocupação com a situação político-social da Ucrânia, repudiando os atos de violência, após receber no parlamento o embaixador em Portugal daquele país do Leste europeu.

«A nossa preocupação não é imiscuirmo-nos no Direito interno e gestão deste país, sobre a sua adesão ou não à União Europeia. O que nos preocupa mesmo é a violação de direitos humanos, da liberdade de expressão», afirmou o deputado Duarte Marques.

A vaga de protestos na Ucrânia gerou, esta quarta-feira, violentos confrontos entre polícia e manifestantes, que se saldaram, para já, em dois mortos e vários feridos. Após destruir barricadas junto a diversos edifícios do centro de Kiev, a polícia antimotim começou, a meio do dia, a avançar com um blindado na direção dos manifestantes.

«O grupo parlamentar do PSD transmitiu também ao embaixador ucraniano em Portugal toda a sua preocupação, o repúdio pela violência, o nosso protesto e compreendendo também a posição da comunidade ucraniana em Portugal, que amanhã [quinta-feira] se irá manifestar», continuou o parlamentar social-democrata.

A Ucrânia tem sido palco desde há cerca de dois meses de manifestações, suscitadas pela decisão do seu presidente, Viktor Ianukovitch, de suspender os preparativos para a assinatura de um acordo com a União Europeia e optar por estreitar os laços comerciais com a vizinha Rússia.

«As imagens que nos chegam pelas televisões não deixam dúvidas sobre a violência que aconteceu e os mortos confirmados, com balas na cabeça, que revelam grande precisão, sendo jovens e dirigentes das manifestações, não deixam muitas dúvidas sobre qual é a intenção», disse ainda Duarte Marques.

Os protestos, os maiores desde a Revolução Laranja de 2004, agravaram-se depois da aprovação pelo parlamento local de legislação que limita o direito à manifestação e reforça as sanções contra os protestantes.