O ex-primeiro-ministro José Sócrates, detido preventivamente na cadeia de Évora, pediu ao Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa para que não lhe sejam retiradas as botas que usa na prisão.
 
Segundo o jornal «Público», o diretor do Estabelecimento Prisional de Évora notificou o ex-primeiro-ministro para quer entregasse um par de botas, já que o uso deste calçado não é permitido.
 
À mesma fonte, o advogado de José Sócrates, Pedro Delille, diz não compreender a decisão, já que o regulamento das cadeias apenas proíbe calçado militar, sendo que os botins em causa não estão nessa categoria, assemelhando-se mais a umas pantufas.
 
O advogado diz que «foi criada uma discriminação negativa em relação a José Sócrates».

Veja a entrevista ao advogado de José Sócrates no «Jornal das 8» da TVI.