«Como sempre disse, a verdade acaba sempre por vir ao de cima e fica agora evidente para todos os portugueses de boa-fé a enormidade das calúnias, das falsidades e das injustiças que sobre mim foram insistentemente repetidas ao longo destes últimos seis anos, muitas vezes com um único objetivo: de me atacarem politicamente e de me atacarem pessoalmente», afirmou na ocasião Sócrates, após a conclusão do Ministério Público.












«Tenho uma relação de há muitos anos com o dr. Armando Vara. Fiz com ele uma carreira política. Por isso, este processo é para mim triste», afirmava Sócrates em novembro de 2009, quando confrontado com a notícia de que tinha sido "apanhado" nas escutas telefónicas a Armando Vara.