«Tenho uma grande admiração por ele e a verdade é que ele está preso sem ter sido acusado de nada», nem «condenado a nada», disse.








«Não é só por ele ser José Sócrates, eu acreditaria [na inocência], até prova em contrário, na inocência de qualquer pessoa» que estivesse «presa sem ter sido condenada ou julgada por um tribunal como deve ser», afirmou.


«Tudo depende da evolução do processo, da consequência final. Se ele for condenado, nessa altura é evidente que o PS e todos nós extrairemos as consequências», mas, «enquanto não for, tem uma presunção de inocência», defendeu.






«Mas tenho consciência de que vivemos num Estado de Direito Democrático e eu acredito no funcionamento das nossas instituições judiciais», afirmou o atual membro da comissão política nacional do PS, sublinhando: «Continuo a acreditar que, no Estado de Direito Democrático, se faz justiça».




Sócrates «está bem-disposto e animado»