O secretário de Estado da Proteção Civil disse que 89% das SMS enviadas esta quinta-feira pela Proteção Civil, para Beja e Faro, foram entregues nas duas primeiras horas e referiu que o número de contacto errado foi um “lapso lamentável”.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) enviou uma mensagem para as pessoas no distrito de Beja e Faro com um número errado para o contacto de emergência em caso de incêndio.

O secretário de Estado falava aos jornalistas no centro de meios aéreos de Vila Real, onde hoje regressaram os dois aviões que estiverem a ajudar a combater os incêndios na Suécia.

José Artur Neves disse se tratou de um “lapso lamentável”, um erro que foi "imediatamente corrigido" pela ANPC e que motivou "um pedido de desculpa" à empresa que foi envolvida no processo e aos cidadãos dos distritos de Beja e Faro.

O governante esclareceu que, de imediato, foi enviada uma mensagem com o número de contacto correto, o 800246246.

José Artur Neves referiu ainda que a SMS foi enviada para um universo de um milhão e 350 mil pessoas e que, nas duas primeiras horas, foram entregues 89% dessas mensagens.

Na primeira hora foram entregues 75% dessas mensagens. Significa que, ao fim de duas horas, apenas 11% não receberam, porventura aqueles que não tinham o telemóvel ligado, ou estavam sem rede ou sem carga”, salientou.

E continuou: “Significa que no prazo de duas horas praticamente os cidadãos de dois distritos receberam na íntegra os SMS”.

Trata-se, explicou, de mensagens preventivas, que reforçam o estado de alerta propósito dos dias de calor extremo no país.

Aviões a postos

Entretanto, a Proteção Civil garantiu que os dois aviões, chegados do combate a incêndios na Suécia, estarão prontos para serem acionados a partir de sexta-feira.

Os dois aviões médios anfíbios disponibilizados pelo Governo português para ajudar a combater os incêndios na Suécia regressaram ao final da tarde de hoje ao centro de meios aéreos de Vila Real.

Miguel Cruz, o elemento da Autoridade Nacional de proteção Civil (ANPC) que liderou a missão à Suécia, garantiu que as duas aeronaves, irão ser alvo de uma inspeção e verificação e estarão prontos a operar de imediato e reforçar o dispositivo nacional, que é composto por 56 meios aéreos.

O responsável fez ainda um balanço "muito positivo" da missão à Suécia.

Estas aeronaves efetuaram um total de 90 horas e 30 minutos de voo, incluindo 46 horas em operação. Tiveram um total de 357 descargas, o que equivale a cerca de um milhão e cem mil litros de água. Participaram em cerca de 10 incêndios, tendo apoiado a extinção de seis e ficando quatro ativos que já eram de grande dimensão”, referiu.

Portugal continental está debaixo de calor extremo a partir de hoje, e até domingo, com 11 distritos sob aviso vermelho, o mais grave, devido a um anticiclone que transporta ar quente do norte de África.

Segundo as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o "período excecional de calor" prolonga-se até domingo, com a temperatura máxima do ar, "em grande parte do território do continente", a registar valores da ordem dos 40ºC, com exceção da costa algarvia, que terá máximas ligeiramente mais baixas, entre 30ºC e 35ºC.