O antigo chefe de Estado Jorge Sampaio afirmou este domingo que fez «mal» em só ter resolvido entrar para o PS em 1978 e frisou que decidirá pela sua cabeça quem apoiará nas próximas eleições presidenciais.

Jorge Sampaio, que liderou o PS entre 1988 e 1992, falava aos jornalistas à entrada para o comício comemorativo dos 42 anos deste partido, no pavilhão Rosa Mota, onde foi recebido com uma ovação pelos milhares de militantes e simpatizantes socialistas, o mesmo que aconteceu minutos depois com Mário Soares.

«Hoje é um dia a que não podia faltar, porque devo muito ao PS, apesar de também lhe ter dado alguma coisa», começou por dizer Jorge Sampaio aos jornalistas.


Interrogado sobre o percurso do partido fundado por Mário Soares ao longo dos últimos 42 anos, o antigo chefe de Estado fez questão de frisar que só entrou para o PS em 1978, quatro anos após a fundação deste partido.

«Fiz mal, devia ter entrado mais cedo. Entrei e acho que valeu muito a pena. Acho que os partidos se renovam continuamente, até porque os desafios são outros e hoje as exigências nacionais e internacionais são enormes», declarou, então já em resposta à questão sobre a história do PS.


De acordo com Jorge Sampaio, o mais importante agora «é confiar na coragem e na determinação das novas gerações», porque a sua geração «já fez aquilo que tinha a fazer».

Questionado sobre se confirma o seu apoio à candidatura presidencial de Sampaio da Nóvoa, Jorge Sampaio respondeu: «Sobre isso a seu tempo se verá».

«Decidirei pela minha cabeça. Tenho os meus próprios calendários. Tenho idade para isso e tenho a minha própria cabeça», acrescentou.