«Hoje é um dia a que não podia faltar, porque devo muito ao PS, apesar de também lhe ter dado alguma coisa», começou por dizer Jorge Sampaio aos jornalistas.


«Fiz mal, devia ter entrado mais cedo. Entrei e acho que valeu muito a pena. Acho que os partidos se renovam continuamente, até porque os desafios são outros e hoje as exigências nacionais e internacionais são enormes», declarou, então já em resposta à questão sobre a história do PS.




«Decidirei pela minha cabeça. Tenho os meus próprios calendários. Tenho idade para isso e tenho a minha própria cabeça», acrescentou.