"Achei que a capa fazia sentido. É um exercício de liberdade e expressão individual. Achei que quem ia estar nua na capa não era eu mas os preconceitos das pessoas."

Uma posição diferente tem, no entanto, em relação às palavras de Daniel Oliveira, seu ex-camarada no Bloco de Esquerda. Daniel Oliveira disse que “quem se deixa embebedar pela fama acaba como qualquer bêbado o fazer figuras tristes” e Joana Amaral Dias devolveu as críticas.

"Essas palavras parecem me já num registo de nível muito baixo. Acho que essas palavras ficam com quem as profere. Estas reações revelam mais sobre o Daniel Oliveira ou sobre pessoas que se colam nesta posição do que de mim."

A dirigente do AGIR sublinhou que a fotografia é uma homenagem a todas as grávidas "que passam dificuldades" no país e que só vê maldade na imagem "quem é mal intencionado".

"É uma homenagem a todas as mulheres que estão grávidas e que passam neste país grandes dificuldades. Só vê maldade nesta foto quem estiver mal intencionado. Eu estou pouco desnudada não se vê nada para alem da minha pança."

No Jornal das 8 da TVI, explicou que o anúncio da gravidez foi feito para o esclarecimento dos portugueses, uma vez que comporta "implicações políticas".

Quanto à campanha eleitoral, essa é para levar até ao fim, só que com as restrições médicas que a gravidez impõe.

"Um politico que se preze está a lutar também pelo futuro, pelos filhos de todos e pelos seus. A minha filha só me da mais vontade de fazer esse combate."