O secretário-geral do PCP antecipa que o encontro com o BE, sexta-feira, não terá um «desfecho definitivo», inserindo-se apenas na série de reuniões com «democratas e patriotas» para convergir numa «política alternativa» à da maioria PSD/CDS-PP.

«Muitas vezes convergimos com o Bloco (de Esquerda), particularmente no plano institucional. Todos sabemos que existem diferenças e divergências de fundo em relação à política nacional e europeia, mas vamos para ali procurando onde é possível convergir, na identificação dos problemas, mas não vai ser uma reunião suprema de desfecho definitivo», disse Jerónimo de Sousa.

O líder comunista falava à saída de um encontro com responsáveis da Federação Nacional de Professores (FENPROF), na qual lamentou que «o Governo, mais uma vez, se prepare para, na época de verão, continuar a política de ataque à escola pública».

«Gostaremos de abordar a situação nacional e as perspetivas que cada um terá em relação à luta por uma política alternativa. O objetivo é este, não se trata de ir mais além», esclareceu ainda sobre a ida à sede bloquista, adiantando estarem já previstas reuniões com a Ordem dos Médicos e a Ordem dos Advogados, bem como «organizações e associações católicas» e «outras organizações do plano económico».