O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou esta terça-feira que Passos Coelho foi injusto se tentou afastar Marcelo Rebelo de Sousa das presidenciais e garantiu que os comunistas estão mais preocupados com as eleições para o Parlamento Europeu.

«Acho que Passos Coelho, se pensou em [excluir] Marcelo Rebelo de Sousa, foi injusto. Eu nunca me esqueço de uma expressão de Marcelo Rebelo de Sousa quando dizia: "mesmo quando eu estou a falar mal do PSD, estou a ajudar o PSD"», disse Jerónimo de Sousa.

«Não sei se [Marcelo Rebelo de Sousa] vai ser o candidato da direita ou não, não sei se se está a criar a ideia de uma vaga de fundo; aquilo que nós dizemos é que é prematuro discutir a questão das presidenciais, porque ainda vamos ter a batalha das eleições para o Parlamento Europeu», acrescentou.

O líder comunista, que falava à Lusa durante a visita a um centro de reformados de Setúbal, desvalorizou, por isso, a troca de palavras dos últimos dias entre Pedro Passos Coelho e Marcelo Rebelo de Sousa, através da comunicação social, sobre uma eventual candidatura presidencial do comentador político e ex-líder social-democrata.

Jerónimo de Sousa admitiu que não sabe se se trata apenas de «uma encenação» para lançar uma candidatura da direita, mas considerou que é demasiado cedo para avançar com eventuais candidatos à Presidência da República.

«Agora é a batalha das eleições para o Parlamento Europeu, a valorização dos 40 anos do 25 de Abril e a luta contra esta política. Estes é que são os principais objetivos do PCP», assegurou o líder comunista.

«Até lá [até às presidenciais], não nos doa a cabeça. É uma preocupação que ainda não temos», concluiu Jerónimo de Sousa.