O secretário-geral do PCP reafirmou, este domingo, a responsabilidade do PS na política seguida pelo atual Governo PSD/CDS-PP, por ter assinado o acordo externo de auxílio financeiro, e alertou para o aumento do desemprego.

«Como entender esta posição política do PS que tem lá a assinatura, em como está de acordo, e depois vem para Serpa ou para outros lados dizer que esta política da troika, do Governo, não serve. Retire a sua assinatura e então podemos conversar. Enquanto não o fizer, responsabilizamos o PS por esta política que realiza contra o nosso povo», desafiou Jerónimo de Sousa, num almoço com cerca de 800 apoiantes, em Serpa.

O líder comunista sublinhou também que «o PCP tinha razão para não se mostrar animado» com os alegados «sinais» económicos positivos anunciados pelo executivo de Passos Coelho e Paulo Portas.

«Vão dois anos e a verdade é que hoje, não resolvendo os problemas do défice e da dívida, o país andou para trás dez anos no plano económico, com uma recessão a prolongar-se», afirmou.

O também deputado comunista classificou a situação do desemprego como estando em «níveis impensáveis, só comparáveis com os últimos tempos do fascismo».

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em agosto era de 695.065, o que representa um aumento de 3,2 por cento face há um ano e de um por cento em relação a julho deste ano, segundo o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).