O líder comunista mostrou-se esta sexta-feira confiante de que «nada está perdido» quanto à coadoção de crianças por casais do mesmo sexo, ponderando mesmo iniciativas favoráveis.

Coadoção por casais homossexuais chumbada no Parlamento

«Nada está perdido para todo o sempre. Faltou ali debate sobre os verdadeiros objetivos do problema que está colocado, uma questão muito sensível. Não teve vencimento, neste momento, devido à posição da direita, mas acreditamos que é meramente conjuntural», disse Jerónimo de Sousa, acompanhando a manifestação, perto do Parlamento, da Frente Comum dos Sindicatos da Função Pública.

O secretário-geral do PCP, questionado sobre o chumbo da maioria PSD/CDS-PP à proposta do PS, no sentido de crianças poderem ser adotadas por cônjuges ou unidos de facto com pessoas que tenham tarefas parentais, anunciou que o seu partido irá acompanhar outras ações semelhantes no futuro e pondera até apresentar algumas, embora sem querer especificar.

Já sobre as propostas de alteração às leis eleitorais apresentadas hoje por PS e pela maioria e que foram relegadas para discussão em sede de comissão parlamentar, com o objetivo de legislar a tempo das eleições europeias de maio, Jerónimo de Sousa critiou o momento da discussão.

«É inaceitável que, a poucas semanas das eleições, queiram mudar as regras do jogo. Num quadro de uma legislação que poderia ser pensada e discutida em profundidade, vai ser, no fundo, a mata-cavalos e alterar as regras já em cima do jogo. Ora, isto não está bem», lamentou.

Jerónimo de Sousa elogiou ainda a «grande prova de força, num dia de semana, com necessidade de recorrer ao pré-aviso de greve» por parte dos manifestantes, algo que «demonstra que o Governo não pode estar descansado a pensar que conseguiu vencer esta batalha das inevitabilidades».