Por outro lado, assinalou, «o governo Regional da Madeira não tinha o direito de aceitar mais um ano de austeridade [pedido] por Lisboa».