O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira o concurso público para a construção da Escola da NATO de Comunicações e Sistemas de Informação, em Oeiras, um investimento superior a 20 milhões de euros, financiado a 100% pela Aliança Atlântica.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, a Escola da NATO de Comunicações e Sistemas de Informação vai ser instalada no Reduto Gomes Freire, em Oeiras, obra financiada na totalidade pela Aliança Atlântica e que tem estimado um investimento superior a 20 milhões de euros.

O Governo considera que esta infraestrutura “terá um impacto relevante na economia nacional e regional”, uma vez que a escola vai receber formandos de todos os países que integram a NATO.

O Ministério da Defesa Nacional refere, em comunicado, que esta escola da NATO permitirá “potenciar um conjunto de capacidades de grande importância para a Defesa Nacional, contribuindo significativamente para a afirmação de Portugal como um centro de desenvolvimento e conhecimento nos domínios da Ciberdefesa”.

A tutela desenvolveu os projetos de arquitetura e engenharia para a construção da nova escola, dos quais faz parte a construção de um edifício e a adaptação da messe existente no Reduto Gomes Freire.

“Devido a questões operacionais do local de implantação da escola é necessário lançar procedimentos pré-contratuais distintos para execução das empreitadas de construção, tendo já sido lançado o procedimento pré-contratual referente à adaptação da messe. Pretende-se agora lançar o relativo à adjudicação da execução da empreitada com as obras de construção”, explica.

De acordo com o Ministério da Defesa Nacional, as alterações aprovadas no seio da Organização do Tratado Atlântico Norte quanto à nova orgânica dos seus Comandos determinaram a desativação do Allied Joint Force Command Lisbon (JFC), instalado no Reduto Gomes Freire, situado na Estrada da Medrosa, em Oeiras, tendo sido acordada a transferência para Portugal da Escola da NATO de Comunicações e Sistemas de Informação (NCISS), localizada em Latina – Itália, que seria instalada no Reduto Gomes Freire.

A 28 de abril Lisboa, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, afirmou que esta escola vai assumir um "papel crucial" na construção da capacidade de `ciberdefesa´ da Aliança Atlântica.

"Não escondo que tratando-se de investimentos importantes cada passo tem que ser dado com a devida razoabilidade e prudência mas é claramente uma opção política que resulta da prática e da perceção internacional sobre o carácter cada vez mais ameaçador da dimensão `ciber´", afirmou então, em declarações à agência Lusa.