Resultados positivos, na ótica do PS. Face à estimativa provisória divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística, o PS aplaude a tendência de redução da taxa, que se situou-se em julho nos 11,1%, idêntica à de junho e 1,2 pontos abaixo da registada em igual mês de 2015, com valores ajustados à sazonalidade.

Através da sua conta no canal Twitter, o primeiro-ministro António Costa não deixou de tirar as suas ilações dos números.

Também em reação aos mais recentes dados do mercado laboral português, João Galamba considerou que são sinais de que a economia vai crescer mais no terceiro trimestre do ano.

São números que confirmam a tendência que já conhecíamos, uma tendência de recuperação sustentada do emprego e de redução da taxa de desemprego", disse João Galamba em declarações à Agência LUSA, considerando que os dados "muito positivos indiciam uma aceleração da economia no terceiro trimestre".

Contra "discursos catastrofistas"

Ao ataque, João Galamba usou os indicadores para acusar o PSD de apregoar o caos.

Os dados do emprego, das vendas a retalho, da confiança dos consumidores e da confiança dos empresários desmentem de forma categórica os discursos catastrofistas e algo irresponsáveis quer de Pedro Passos Coelho quer de Maria Luís Albuquerque", sustentou o deputado, acusando os sociais-democratas de "anunciar o apocalipse, que é sistematicamente desmentido por dados oficiais".

Talvez estivesse na altura de o PSD perceber que, ao contrário do que tem apregoado desde o início do ano, não só a execução orçamental tem corrido positivamente como a economia dá sinais de recuperação importantes ao nível do emprego e das vendas a retalho, que são um indicador muito importante", acrescentou João Galamba.