A conferência de presidentes do Parlamento Europeu (PE) decidiu esta quarta-feira agendar para a sessão plenária da próxima semana, em Estrasburgo, um debate sobre os incêndios florestais em Portugal e Espanha, anunciou o grupo do PCP.

Segundo um comunicado dos eurodeputados do PCP, a conferência de presidentes do PE decidiu “incluir na agenda da próxima sessão plenária em Estrasburgo, que se inicia na segunda-feira, um debate sobre mecanismo de resposta aos incêndios florestais no norte da Espanha e em Portugal".

Segundo o comunicado, a proposta foi avançada pelo Grupo da Esquerda Unitária, por iniciativa do PCP.

Pelo menos um grupo de eurodeputados socialistas espanhóis tinha-se também mobilizado no sentido de pedir um debate sobre os incêndios.

Na plenária de julho, os eurodeputados debateram os incêndios em Pedrógão Grande, que fizeram 64 mortos, e em Espanha, voltando a agendar o tema dos fogos florestais.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 41 mortos e cerca de 70 feridos (mais de uma dezena dos quais graves), além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

A ministra da Administração Interna apresentou hoje a sua demissão.

O Governo decretou três dias de luto nacional, que terminam na quinta-feira.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, em junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.

Na Galiza, noroeste de Espanha, morreram quatro pessoas.