«A rutura do serviço de urgências do hospital Garcia de Orta decorre do desinvestimento público de sucessivos governos, muito agravado pelo atual Governo.»


«Quando entrou em funcionamento já se encontrava subdimensionado para a população que abrangia, daí a necessidade urgente da construção do hospital no concelho do Seixal. Por outro lado existe um desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, que tem reflexos na enorme escassez de profissionais de saúde, na redução de camas hospitalares e na redução da resposta ao nível dos cuidados de saúde primários.»


«As ambulâncias ficam horas retidas às portas das urgências a aguardar a maca, podendo inclusivamente comprometer o socorro a outras pessoas em situação de urgência, porque não há camas para colocar os doentes.»