O vice-presidente do PSD Marco António Costa disse hoje que o resultado no referendo de Atenas, onde tudo aponta para uma vitória do "não", coloca nas mãos do governo helénico o "dever" de apresentar uma solução para o país.

"A realidade torna-se muito simples: o referendo coloca agora nas mãos do governo grego a capacidade e o dever de apresentar uma solução para o impasse a que se chegou", declarou o social-democrata numa declaração sem direito a perguntas feita na sede do partido, na Lapa, em Lisboa.


Tal solução, acrescentou o social-democrata, deverá encontrar um equilíbrio entre as "legítimas aspirações dos gregos" mas tendo em conta o "respeito pelas regras da união monetária",

"Não é tempo para exaltações, muito menos para precipitações, antes de [haver] diálogo com realismo e responsabilidade", prosseguiu Marco António Costa.

O PSD, "contrariamente a outros, não navega ao sabor dos ventos", e "mantém inabalável o seu compromisso de projeto europeu", disse ainda o dirigente social-democrata, lembrando que Atenas continua a viver uma situação de "emergência financeira e social".

O "não" às propostas dos credores obteve 61,27% no referendo de hoje na Grécia, segundo números do Ministério do Interior grego, quando estão contados mais de 50% dos votos, enquanto o "sim" obteve 38,71%.