O «número um» do PS às europeias pediu esta terça-feira «juízo» a Paulo Rangel, cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP, e acusou o vice-primeiro-ministro e líder do CDS, Paulo Portas, de «tentar fugir ao debate» político do presente e futuro.

«Estamos a poucos dias do final desta campanha eleitoral. Acho que o Dr. Paulo Rangel, muito francamente, deve ter juízo, porque ele passou esta campanha eleitoral a desferir permanentes ataques, em termos absolutamente inadmissíveis, ao PS», disse Francisco Assis.

O candidato do PS falava depois de Paulo Rangel ter dito que aguarda uma «retratação» por parte do PS sobre declarações de Manuel Alegre na segunda-feira, considerando o social-democrata que o histórico socialista o associou ao regime nazi.

Paulo Rangel exige pedido de desculpas ao PS.

À margem de uma visita em São João da Madeira à Helsar, unidade de produção de calçado, Assis foi também questionado sobre declarações desta manhã de Paulo Portas, que pediu aos eleitores para usarem «democraticamente o direito à indignação» contra a «glorificação de José Sócrates».

Para o cabeça de lista do PS ao Parlamento Europeu, Paulo Portas «está a tentar fugir ao debate do presente e do futuro» e a tentar centrar a discussão política num «debate que poderia ter feito sentido há cinco anos, mas não faz sentido nenhum neste momento».

Assis definiu Paulo Portas como «provavelmente» o «maior mestre do ilusionismo político da história da democracia portuguesa» e lembrou que o centrista é «personalidade da maior relevância» do atual Governo.

«O que vai estar em causa, também, não vai ser só isso, mas também vai estar em causa no próximo domingo, é precisamente uma avaliação dos resultados da ação desse Governo. Tudo o resto é puro ilusionismo político, mas o Dr. Paulo Portas foi sempre assim. Não é uma coisa que me surpreenda (...). Quando está confrontado com dificuldades procura tirar um coelho da cartola. Neste caso o coelho que está mais à disposição não está em grandes condições, e por isso vem com estas considerações», acrescentou o socialista.

Francisco Assis sublinhou perante os jornalistas que tem feito uma campanha onde fala da Europa e de Portugal, apresentando a visão dos socialistas sobre o projeto europeu em diferentes áreas políticas.

«Gostaria de ver sempre Mário Soares muito próximo de nós».

«Queremos discutir a Europa e queremos discutir Portugal na Europa», reforçou, embora admita que não pode deixar de reagir «quando os candidatos da direita dirigem ao PS acusações verdadeiramente insultuosas».

Assis acusa Governo de ter posto Portugal a viver «um drama».

Na visita à Helsar, Assis esteve acompanhado por Elisa Ferreira, número quatro da lista ao Parlamento Europeu, e pelos deputados socialistas Pedro Nuno Santos, Filipe Neto Brandão e Sérgio Sousa Pinto.