A Federação Portuguesa pela Vida (FPV) congratulou-se, esta sexta-feira, com o chumbo parlamentar do projeto-lei da coadoção de crianças por casais homossexuais, voltando a defender um referendo.

Coadoção por casais homossexuais chumbada no Parlamento

Em comunicado, a FPV refere que a reprovação, hoje, na especialidade, da coadoção de crianças por casais do mesmo sexo «foi uma vitória da democracia, da família e, sobretudo, das crianças portuguesas mais carenciadas», voltando a defender «a necessidade de um referendo sobre a parentalidade por pessoa do mesmo sexo».

A coadoção de crianças por casais homossexuais foi hoje chumbada na especialidade, com 112 votos contra, 4 abstenções e 107 votos a favor.

No comunicado, a Federação Portuguesa pela Vida sustenta que o chumbo do projeto-lei «põe fim à falsa questão da coadoção, mas abre a porta ao debate sobre a adoção por pessoas do mesmo sexo».

A FPV entende que, neste contexto, «o povo português tem o direito a pronunciar-se com o seu voto sobre qualquer alteração legal que viole o direito das crianças a um pai e a uma mãe», defendendo assim a realização de um referendo.