Um total de 139 militantes social-democratas foram expulsos por terem participado em candidaturas adversárias às do PSD nas últimas eleições autárquicas.

As previsões da Direção Nacional do PSD apontavam para a saída de 396 militantes, mas os critérios definidos pelo conselho de jurisdição nacional pouparam muitas expulsões.

O secretário-geral social-democrata, Matos Rosa, já lamentou a saída destes militantes porque, disse, o PSD é um partido inclusivo.

Fora das expulsões ficaram alguns militantes históricos, como Miguel veiga, Valente de oliveira, Arlindo cunha, entre outros, que apoiaram a candidatura independente à câmara do Porto.