Os líderes parlamentares do PSD e do CDS-PP formalizaram, esta terça-feira, a proposta de que o Parlamento evoque o 25 de Novembro "com uma conferência ou sessão", numa carta enviada ao presidente da Assembleia, Ferro Rodrigues.

"Estando já marcados os trabalhos parlamentares para o próximo dia 25, sugerimos que deve o trabalho normal do parlamento ser complementado por uma evocação digna do momento histórico que queremos recordar, por exemplo, com uma conferência ou sessão que relembre a todas as gerações o caminho que, juntos, fizemos para a democracia", lê-se na carta.

A carta enviada pelo líder parlamentar social-democrata, Luís Montenegro, e centrista, Nuno Magalhães, formaliza uma intenção comunicada na reunião de conferência de líderes de que fosse realizada na Assembleia da República uma evocação dos 40 anos do 25 de Novembro de 1975, que marcou o final do Processo Revolucionário em Curso (PREC).

"Assim como celebrámos com dignidade os 40 anos do 25 de Abril, dia primeiro que nos trouxe a liberdade, é da maior justiça e importância relembrar o dia, e os seus intervenientes, que confirmou a democracia, reforçou o pluralismo e evitou desvios totalitários em Portugal", argumentam.

Na missiva, argumentam que "após meses de incerteza e radicalismo, o 25 de Novembro trouxe o fim dos extremismos, dos confrontos violentos e da ameaça sobre as instituições".

"Os eventos desse dia, e dos que se seguiram, consolidaram a liberdade de Abril, no caminho para um país europeu e democrático", afirmam, para defender que "a casa da democracia deve lembrar e honrar esse momento histórico importante para a definição de Portugal como democracia parlamentar e pluralista baseada no voto democrático e numa Assembleia sem exclusões".