O ex-presidente da República Mário Soares considera que o Governo liderado por Passos Coelho deve ser julgado em tribunal e que «uma parte» não passa de um grupo de «delinquentes». Em entrevista ao «Diário de Notícias» e rádio «TSF», declarou: «Acho que estes senhores devem ser julgados, depois de saírem do poder».

Para Mário Soares, o estado está «doentíssimo» e a culpa é do Governo e da troika. Crítico da coligação PSD-CDS, o histórico socialista declara: «O regime está moribundo. Querem acabar com o Estado social. Pior, não acreditam na Constituição que juraram».

«O que a troika nos faz é um roubo. Um país que descobriu o mundo, que correu todos os oceanos, um país que fez o que nós fizemos, agora estar sujeito a uns usurários que, ao serviço dos mercados que poucos saberão quem são os vigaristas que os comandam, com os juros imensos roubam o dinheiro todo de Portugal».

Segundo Soares, «Portugal devia seguir o caminho da Argentina e não pagar a dívida» externa.

O ex-Presidente da República é de opinião que «a Europa foi tomada por uns tipos que vivem, dos mercados usurários».

Sobre política Rui Machete, Soares não tem dúvidas de que deveria demitir-se do cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros. «Para lhe dizer a verdade, para mim, é uma surpresa brutal o quer se passa com Machete. Era simpático, nunca criou problemas. E agora que sei tudo o que se passa com ele, fico perplexo». Em causa as relações com Angola, mas também por causa da polémica das ações do BPN, tema que «como o próprio Presidente da República, também há coisas que não se explicam e, como se sabe, a relação dele com o BPN também é bastante desagradável».

Nesta entrevista, Mário Soares lança o recém-eleito presidente da Câmara Municipal de Lisboa na corrida a Belém. «Na atualidade não vejo melhor candidato a Presidente da República do que António Costa».