As mesas de voto para as eleições legislativas encerraram este domingo às 19:00 em Portugal Continental e na Madeira, fechando uma hora depois nos Açores, devido à diferença horária.

De acordo com informação do Ministério da Administração Interna, às 16:00, a afluência média às urnas na eleição da Assembleia de República estima-se em 44,38%, a que correspondem cerca de 4,260 milhões de votantes.

Por comparação com as últimas eleições legislativas, realizadas a 05 de junho de 2011, à mesma hora a afluência média foi ligeiramente inferior: 41,98%, o que corresponde a menos 230 mil votantes.

Mais de quatro milhões de eleitores já tinham votado às 16:00 de hoje, o que representa 44,38% dos 9,6 milhões de eleitores inscritos, uma subida de 2,4 pontos percentuais, face às anteriores legislativas.

Segundo a Comissão Nacional de Eleições (CNE), no decurso do ato eleitoral, três mesas de voto registaram problemas na hora de abertura, uma delas motivada por protestos e duas por falhas materiais.

O caso de tentativa de boicote ocorreu na mesa de voto na Escola da Erada, concelho da Covilhã, que às 08:00 estava fechada a cadeado, em protesto pelo encerramento daquele estabelecimento de ensino. A mesa de voto acabou por abrir às 09:15, depois de a GNR ter retirado o cadeado que impedia o acesso ao local.

Mais de 9,6 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro puderam votar para escolher a constituição da Assembleia da República na XIII legislatura e de onde sairá o novo Governo.

A estas legislativas concorrem 16 forças políticas, das quais três são coligações e as restantes 13 partidos.

Os maiores boletins de voto ficaram nos círculos de Aveiro, Braga e Viana do Castelo, com 16 forças partidárias, enquanto Lisboa e Porto contam com 15 forças políticas cada um.

Os portugueses foram chamados a eleger 230 deputados, divididos em 22 círculos (18 no continente, duas regiões autónomas e círculos da emigração – Europa e Fora da Europa).

O círculo eleitoral de Lisboa é aquele onde são eleitos mais deputados, 47, seguindo-se o Porto, com 39.

Relativamente a 2011, o círculo eleitoral de Santarém vai eleger menos um deputado nas legislativas de outubro, ganhando Setúbal mais um lugar no parlamento, de acordo com o mapa aprovado pela Comissão Nacional de Eleições (CNE).