A vice-secretária-geral do PSOE, Elena Valenciano, congratulou, esta segunda-feira, o Partido Socialista pela vitória nas eleições autárquicas de domingo, que disse representar «um duro castigo» à política do Governo português e da troika.

«É um sinal muito contundente dos portugueses, que não estão dispostos a mais sacrifícios sem sentido e que querem dirigentes sensíveis às suas necessidades, conscientes de que o país requer políticas de crescimento que gerem emprego», refere o PSOE, em comunicado enviado aos seus «irmãos» portugueses.

O PSOE destaca o facto do PS «se ter convertido, com 36,3% dos votos, na força com maior apoio e mais câmaras», presidindo também à Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).

Resultados que, segundo o partido espanhol, «representam um duro castigo à política de cortes e austeridade do Governo conservador de Passos Coelho, que, sob ordens da troika, meteu o país num beco no qual não se vislumbra nenhuma saída».

Estes resultados representam «uma vontade de mudança e um voto de confiança dos portugueses às forças progressistas e ao projeto alternativo que o Partido Socialista lidera para retirar o país desta situação antes que os danos sejam irreversíveis», adianta o PSOE.

«Trata-se da maior vitória que um partido conseguiu numas eleições municipais em Portugal e a pior derrota em décadas obtida pela direita portuguesa», referiu Elena Valenciano, na missiva.

Valenciano congratulou expressamente o secretário-geral do PS, António José Seguro, manifestando-se convencida de que o seu trabalho o «conduzirá à vitória nas próximas eleições gerais de Portugal» e também António Costa «pela sua histórica vitória com maioria absoluta, que representa o seu terceiro mandato na [câmara da] cidade de Lisboa».